POP… OR NOT!


7 coisas

Se você pensou que eu estava aqui para falar do novo single de Miley Cyrus (a enjoada Hannah Montana), se enganou. O sete no caso é outro. Se trata de NANA (ナナ).


NANA é uma série de mangás de muito sucesso, tanto que já ganhou adaptações para as telonas (2005 e 2006) e em anime (2006 e 2007). Em junho, a editora JBC anunciou que lançará o mangá por aqui, mas ainda sem uma data definida.

Bem, a essa altura você deve estar se perguntando: “Legal, mas o que tem a ver o sete?”. Pois bem, acontece que nana, em japonês, é sete! E é claro que isso é bem explorado durante toda a série.
Aliás, já é hora de darmos uma geral na trama!

Tudo gira em torno de duas mulheres que dividem o mesmo nome (eu realmente preciso dizer qual é?). Nana Oosaki (大崎 ナナ) é vocalista da banda punk BLACK STONES (BlaSt) e não vê a hora de estrear para deixar os sentimentos pelo ex-namorado, Ren Honjou (本城蓮), para trás. Os dois viviam juntos e tocavam na mesma banda, porém Ren recebeu a oferta de entrar para a TRAPNEST (T-nest), uma banda de grande sucesso, e para isso teria de se mudar para Tóquio, assim, deixando Nana.
Enquanto isso, em outra cidadezinha, Nana Komatsu vive quase que tranqüilamente, não fosse o fato de seu amigos e namorado terem se mudado para Tóquio. Por isso, ela junta dinheiro para poder viajar a Tóquio e se juntar a eles.
Komatsu é incrivelmente submissa e se apaixona facilmente por qualquer homem bonito e que a trate bem.
Eis que quando Komatsu consegue o dinheiro necessário e embarca no trem para sua viagem, ela se senta ao lado de ninguém mais ninguém menos que Nana Oosaki e descobre rapidamente que as duas têm o mesmo nome. Depois de várias outras coincidências, as duas acabam morando juntas e, mesmo com a diferença de gênios, as duas desenvolvem um amor muito grande uma pela outra. NANA foi escrita por Ai Yazawa (
矢沢あい ) e é publicada na revista Cookie japonesa.

Bem, considerando que a personagem principal tem uma banda, a música é um fator muito presente na série. Para as adaptações (tanto em live-action como a animada), foram chamadas cantoras famosas para dar voz às vocalistas das bandas BLACK STONES e TRAPNEST, Nana e Reira, respectivamente. Veja abaixo um pouco de cada uma:

MIKA NAKASHIMA (中島美嘉)
Ela viveu Nana Oosaki no cinema e fez muito sucesso com a música GLAMOROUS SKY no primeiro filme, escrita pela própria Ai Yazawa e composta por HYDE, vocalista da banda L’arc~en~ciel. O single vendeu mais de 440.000 cópias só em 2005. No segundo filme, a música principal foi Hitoiro (一色; uma cor), uma balada, que também foi um grande sucesso. No final de 2006, Mika lançou um álbum chamado THE END reunindo todas as músicas que fez para o filme. Para os lançamentos de NANA, ela usava o nome NANA starring MIKA NAKASHIMA.

YUNA ITO (伊藤 由奈)
Yuna deu vida à Reira Serizawa, também nos dois filmes. Sua principal música sob o nome de REIRA starring YUNA ITO é ENDLESS STORY, uma versão em japonês do hit
If I’m Not in Love de Jody Watley. O single, na época, vendeu quase tanto quanto GLAMOROUS SKY. No segundo filme, a música escolhida foi Truth, outra agradável balada. Apesar de ainda ser um sucesso, este último single não alcançou o mesmo patamar dos anteriores.

ANNA TSUCHIYA (土屋アンナ)
No anime, Anna era Nana, sob o nome de ANNA TSUCHIYA inspi’ NANA (BLACK STONES). As músicas da série animada, no geral, não atingiram o mesmo sucesso das canções dos filmes, mas ainda assim agradaram bastante o público. Entre as músicas de Anna, podemos citar rose e LUCY, duas músicas de rock bem pra cima que foram usadas como abertura para o anime. Kuroi Namida (黒い涙; lágrimas negras), uma linda power-ballad, foi a trilha para um dos encerramentos. No início de 2007, foi lançado um álbum reunindo essas e outras músicas inspiradas por NANA.

OLIVIA
Apesar de não ser tão conhecida quanto as outras cantoras, OLIVIA foi escolhida para cantar para o TRAPNEST, sob o nome OLIVIA inspi’ REIRA (TRAPNEST). Seu primeiro single sob esse nome, a little pain, ajudou a torná-la mais conhecida e a conquistar mais fãs pelo mundo todo. Vale ressaltar que essa música possui o mesmo refrão de Just Missed The Train, sucesso dos anos 90 pela cantora norueguesa Trine Rein, porém, nenhum crédito é dado aos compositores originais. Outras músicas que OLIVIA gravou para a série incluem Wish e Recorded Butterflies. Assim como Anna, no início de 2007 um álbum com essas e outras canções do anime foi lançado.

Um pouco antes do final do anime, foi lançada uma compilação especial chamada NANA BEST, que juntava as músicas de ANNA TSUCHIYA inspi’ NANA (BLACK STONES) e OLIVIA inspi’ REIRA (TRAPNEST) e ainda possuía algumas inéditas.

Nota: Lembrando que no anime, Anna e OLIVIA não dublavam os personagens, cediam a voz apenas quando elas cantavam.

NANA com certeza é recomendado para aqueles que gostam de uma história leve, divertida e com muita música!

Anúncios

3 Comentários so far
Deixe um comentário

Nana me interessa muito. Queria muito assistir/ler!
As obras da Yazawa sempre são tão realisticamente dramáticas *-*
Com certeza vou comprar o mangá e, algum dia (quando der coragem), baixar o anime e os live actions!

Comentário por vacoide

O chato é que o anime não termina…

Comentário por poetriz

~~Eu ainda leio/assito, velho \o/!!!!!
deixa eu termina bleach e_e'(ou seja depois de um século)….mais a historia chama atenção n_n

Comentário por Mandy




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: